Deixa ir

Deixa ir o que te anoitece e te impede de ser dia.
Deixa ir o que não te constrói nem te aumenta.
Deixa ir o que te prende ao passado e te embacia os dias que estão a acontecer.
Deixa cair o que te afasta de quem não se afasta de ti.
Deixa cair a fotografia dos dias magoados.
Deixa cair as páginas que não contam histórias bonitas.
Deixa voar as penas que não te deixam ser asa.
Deixa voar o que fizeste e o que te fizeram.
Deixa voar o que devia ter sido dito e não foi.
Deixa desaparecer as rugas que envelhecem o teu coração.
Deixa desaparecer as linhas que te cosem ao que não interessa.
Deixa desaparecer o que não for verdade nem transparente.
Deixa fugir quem não for para ficar.
Deixa fugir o que ainda te arrasa por dentro apesar do tempo que já passou.
Deixa fugir o que não é teu.
Deixa ficar o que for ponte para o dia de amanhã.
Deixa ficar o cheiro dos dias bons.
Deixa ficar a calma que se instala depois da chuva.
Deixa sossegar.
Deixa acontecer.
Deixa que se faça dia outra vez.
Deixa ir.
Deixa abraçar.
Deixa-te ficar.
Deixa passar o tempo.
Deixa voar.
Deixa fugir.
Deixa cair.
Deixa viver.
~ Marta Arrais [in imissio, 04-01-2017]